Rio Santos Bossa Fest

Unesco

AGENDA DE APRESENTAÇÕES

  • PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO

    Dia 20 de Abril

    19h30 Abertura oficial do RIO SANTOS JAZZ FEST 2018 com a apresentação de NEWTON ZAGO

    Dia 24 de Abril

    18h30 Exibição do filme "BIRD" - Direção Clint Eastwood

    Dia 25 de Abril

    19h30 Apresentação musical de RICARDO PAULINO DUO

    Dia 26 de Abril

    19h30 Apresentação musical de RICARDO BALDACCI TRIO
  • PRAIAMAR SHOPPING

    Dia 21 de Abril

    15h30 Abertura da exposição fotográfica de KELLY PETRAGLIA - "Um olhar sobre o Rio Santos Jazz Fest no Praiamar Shopping" (A exposição fotográfica poderá ser visitada entre os dias 21 de abril e 30 de abril no horário de funcionamento do Praiamar Shopping)
    16h00 Cortejo pelas alamedas do shopping com a RIO SANTOS STREET BAND
    17h00 PROJETO TAM TAM

    DIA 22 de abril

    16h00 CONJUNTO DE VIOLÕES DO PROJETO ESCULPIR
    17h00 BIA ROCHA E SILVA TRIO
  • ALIANÇA FRANCESA DE SANTOS

    Dia 23 de abril

    18h30 Abertura da exposição fotográfica de KELLY PETRAGLIA - "Um olhar sobre o Rio Santos Bossa Fest e Rio Santos Jazz Fest" (A exposição poderá ser visitada entre os dias 23 e 30 de abril, no horário de funcionamento da entidade).
    19h00 Exibição do filme "ROUND MIDNIGHT" - Direção Bertrand Tavernier
  • MUSEU DO CAFÉ

    Dia 26 de abril

    12h00 Apresentação musical e cortejo pelas ruas do centro histórico com a RIO SANTOS STREET BAND
  • COLÉGIO UNIVERSITAS - EDUCAÇÃO INFANTIL - ENSINO FUNDAMENTAL - ENSINO MÉDIO

    Dia 27 de abril

    11h00 Apresentação musical dos alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental
    12h00 Apresentação musical dos alunos do Ensino Médio
  • TEATRO DO SESC

    Dia 28 de abril

    15h00 Masterclass de violoncelo com o músico cubano YANIEL MATOS
    Entrega de senhas com 30 minutos de antecedência no local da atividade. Vagas limitadas.
    20h00 Apresentação musical com o MANI PADME TRIO

    Observação: Os ingressos para o show serão distribuídos a partir das 10h00 da manhã do dia 28 de abril de 2018, no mesmo dia da apresentação, na unidade do SESC Santos, respeitando as normas, condições e procedimentos da entidade.

  • TEATRO COLISEU

    Dia 29 de abril

    18h00 COR DAS CORDAS CONVIDA EDMUNDO CARNEIRO
    20h00 TICO DE MORAES TRIO 

    30 de abril - DIA INTERNACIONAL E MUNICIPAL DO JAZZ

    19h00 CARLA MARIANI QUARTETO - Blues
    21h00 MARK LAMBERT & RIO SANTOS ORCHESTRA

    Observação: Serão distribuídas 700 senhas numeradas para o público para cada um dos dois dias de apresentações, sempre uma hora antes da primeira apresentação, ou seja, a partir das 17h00 do dia 29 de abril e 18h00 do dia 30 de abril de 2018. Não teremos assentos numerados.

CONHEÇA AS ATRAÇÕES


MARK LAMBERT & RIO SANTOS ORCHESTRA
Teatro Coliseu
30/04 - 21h00

Mais Info.

MANI PADME TRIO
Teatro do Sesc
28/04 - 20h00

Mais Info.

RICARDO BALDACCI TRIO
Pinacoteca Benedicto Calixto
26/04 - 19h30

Mais Info.

TICO DE MORAES TRIO
Teatro Coliseu
29/04 - 20h00

Mais Info.

RIO SANTOS STREET BAND
Praiamar Shopping 21/04 - 16h00
Museu do Café 26/04 - 12h00
Praiamar Shopping 27/04 - 18h00

Mais Info.

NEWTON ZAGO
Pinacoteca Benedicto Calixto
20/04 - 19h30

Mais Info.

BIA ROCHA E SILVA TRIO
Praiamar Shopping
22/04 - 17h00

Mais Info.

RICARDO PAULINO DUO
Pinacoteca Benedicto Calixto
25/04 - 19h30

Mais Info.

COR DAS CORDAS & EDMUNDO CARNEIRO
Teatro Coliseu
29/04 - 18h00

Mais Info.

CARLA MARIANI QUARTETO
Teatro Coliseu
30/04 - 19h00

Mais Info.

PROJETO TAM TAM
Praiamar Shopping
21/04 - 17h00

Mais Info.

CONJUNTO DE VIOLÕES DO PROJETO ESCULPIR
Praiamar Shopping
22/04 - 16h00

Mais Info.

Release

Rio Santos Jazz Fest 2018

O objetivo principal do RIO SANTOS JAZZ FEST 2018 é trazer entretenimento para o público da Baixada Santista através de um estilo que é um dos principais alicerces da música popular mundial, que é o JAZZ. 

SERVIÇO:

RIO SANTOS JAZZ FEST 2018 

SHOWS MUSICAIS – EXPOSIÇÃO DE FOTOS – EXIBIÇÕES DE FILMES – MASTERCLASS
(Comemoração do Dia Internacional e Municipal do Jazz em Santos - 30/04/18)

PERÍODO DE REALIZAÇÃO:entre os dias 20 e 30 de abril de 2018, com 10 dias de duração 

ENTRADA GRATUITA FAIXA ETÁRIA: LIVRE *

LOCAIS:TEATRO COLISEU (DIAS 29 e 30 de abril) - TEATRO DO SESC SANTOS (DIA 28 de abril) - PRAIAMAR SHOPPING (DIAS 21, 22 e 27 de abril) – PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO (DIAS 20, 24, 25 e 26 de abril) – ALIANÇA FRANCESA DE SANTOS (DIA 23 de abril) – MUSEU DO CAFÉ (DIA 26 de abril) – COLÉGIO UNIVERSITAS EDUCAÇÃO INFANTIL – ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO (DIA 27 de abril) 


APOIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS – SECRETARIA DE CULTURA - SESC -  PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO - PRAIAMAR SHOPPING - PREVENT SENIOR – ALIANÇA FRANCESA DE SANTOS – MUSEU DO CAFÉ - SABESP – UNIVERSITAS EDUCAÇÃO INFANTIL, ENSINO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO - JORNAL DA ORLA


REALIZAÇÃO: Digital Jazz
INFORMAÇÕES E PRODUÇÃO CULTURAL:
• CÁSSIO LARANJA – [email protected]
• GRAZIELLA GUERREIRO – [email protected]

Apoio

Music Dreams Studios
GHAOUI PUBLICIDADE

Apoio Institucional

MARK LAMBERT & RIO SANTOS ORCHESTRA

O cantor, guitarrista, compositor e arranjador norte-americano MARK LAMBERT, vai encerrar o Rio Santos Jazz Fest 2018, se apresentando ao lado “Big Band” Rio Santos Jazz Orchestra, formada pelos melhores instrumentistas de Santos.

No repertório estarão as pérolas de jazz e “jump swing” como: “Let the Good Times Roll” (Ray Charles), “Just One of Those Things” (Cole Porter), “Jump, Jive & Wail” (Louis Prima) entre outros temas consagrados e conhecidos do grande público.

Todos os arranjos são assinados por Mark Lambert e pelo saxofonista Mauricio Fernandes.

Muito versátil e talentoso, Mark Lambert passeia com absoluta competência nos repertórios do jazz, blues, pop, MPB e música clássica.

Durante a década de 90, Lambert foi diretor musical de um dos maiores ícones da Bossa Nova no Exterior, a cantora Astrud Gilberto.

Ele tem uma extensa ficha de colaborações em palco ou estúdios, tendo tocado com Michael Brecker, Dave Douglas, Regina Carter, The New York Voices, Ivan Lins, Bebel Gilberto, Milton Nascimento, Eliane Elias, Chris Potter, Bob James, Dave Kikowski, Warren Hill, Meatloaf, Bob Mintzer, Mike Mainieri, Ute Lemper, Chiara Civello, Little Jimmy Scott, David Benoit, Earl Klugh, Phoebe Snow, Darlene Love, Forró in the Dark, Gunhild Carling, Daniel Boaventura, Ângela Bofill, Toninho Horta, Mike Tucker, Zé da Velha, Silvério Pontes, Freda Payne, Gabriel Grossi, Scott Feiner & Pandeiro Jazz, e Idriss Boudrioua.

Desde 2015, ele voltou a fazer turnês no exterior com Renaissance, a consagrada banda inglesa de rock progressivo.

No Brasil, Lambert lidera a Orquestra Radio Swing, uma banda de 9 integrantes que já se apresentou nos festivais de Savassi, I Love Jazz, Rio das Ostras, Jazz Festival Brasil, Lavradio, Fest Bossa & Jazz, Tiradentes Festival de Jazz e Blues e no Blue Note Rio.

Rio Santos Jazz Orchestra

A Rio Santos Jazz Orchestra é uma formação especial para o RIO SANTOS JAZZ FEST 2018, composta por 3 saxofones, 3 trombones, 3 trompetes, baixo, bateria, piano, teclado e cantores, todos integrantes da famosa Jazz Big Band.
Apresentações em festivais instrumentais ou acompanhando Cesar Camargo Mariano, Jorge Vercillo, Hermeto Pascoal, Danilo Caymmi, Zé Rodrix, Simoninha e o bluzeiro e guitarrista norte americano Kenny Brown, entre outros, são uma referencia de qualidade.
A Big Band também divide o palco com atores e cantores nos grandes teatros do Brasil com os musicais; “Sinatra – O Homem e a Música”, que conta a história daquele que foi considerado a vóz do século; “A Era dos Festivais”, onde atores e músicos reproduzem no palco o que foram os festivais da Record e Excelsior na década de 60 e “Só da Lalá” que perpetua a obra de Lamartine Babo.
Apresentações especiais no Credicard Hall, HSBC Brasil, RED Jaguariúna, Citibank Hall bem como em grandes eventos públicos como Virada Cultural São Paulo e em centenas de cidades, mais shows dançantes nos mais tradicionais clubes do Brasil, tornaram a banda sucesso, conquistando seguidores em todas as idades.
Criada na casa do lendário maestro Luiz Arruda Paes, no ano de 2000 é formada na sua grande maioria, por músicos e arranjadores da Baixada Santista.
A criação e coordenação é realizada pela Associação dos Artistas do Estado de São Paulo, uma instituição sem fins lucrativos, certificada pelo Ministério da Justiça como de interesse público.

MANI PADME TRIO

Formado em 2002, o Mani Padme Trio já está se tornou uma referência na música instrumental brasileira. Depois do sucesso dos dois primeiros CDs “Um dia de chuva” e “Depois”, lançados no Brasil pela Tratore e na Europa pela Red Records, o trio formado pelo pianista cubano Yaniel Matos, pelo baixista Sidiel Vieira e pelo baterista Ricardo Mosca, apresenta seu terceiro disco “Voo”.

 Estamos aqui de frente com duas culturas que se encontram, Brasil e Cuba, samba e salsa, mas os três, ao deixarem soar os tratados comuns e as divergências entre as suas ideias musicais, ficam a parte do conceito abusado do latin jazz.

Os ritmos e as cores de São Paulo, estão presentes, porém não são facilmente visíveis. Encontramos estas características com sabedoria em diálogos instrumentais traçados através de um estilo próprio e, ao mesmo tempo, rico de influência do jazz europeu e da música “novaiorquina”.
O grupo que completou 13 anos de existência, traz nas canções de Yaniel Matos e Sidiel Vieira formas musicais complexas, profundas, e meditativas. Livre de estereótipos, o trio produz um som totalmente original, com uma relação realmente simbiótica entre os músicos. Além das composições próprias o trio mergulha agora em releituras de alguns clássicos de compositores como Milton Nascimento, Dorival Caimmy, Paul McCartney, Jobim, dentre outros.

Link show Instrumental Sesc Brasil
Site oficial
ATIVIDADE EXTRA! DIA 28/04 – AUDITÓRIO DO SESC SANTOS

Masterclass de violoncelo com Yaniel Matos 
Yaniel Matos começou seus estudos de cello e piano ainda criança no Conservatório Estevan Sala, em Santiago de Cuba. Com uma longa carreira de estudos e turnês internacionais, fundou o Mani Padme Trio com Ricardo Mosca e Du Moreira em 2003. 
Horário: 15h às 16h30.
Local: Teatro do Sesc Santos. 
Entrega de senhas com 30 min de antecedência no local da atividade. Vagas limitadas.

RICARDO BALDACCI TRIO

“Ele é bom.” (Bucky Pizzarelli) “Referência do Swing Jazz no Brasil”. (Jornal A Tarde, Salvador) “Um dos fabulosos talentos do mundo do jazz, um dos mais brilhantes astros na cena.”(Alexandra Djordjevic, Brazilian American Chamber of Commerce Journal) “Um delicioso mergulho no Swing Jazz, entre releituras e músicas próprias interpretadas com precisão técnica e leveza”(O Globo) “Notas precisas e sonoridade elegante”(Vinícius Castelli, Diário do Grande ABC) “Swing Jazz atualizado, com competência e como nos velhos tempos”(Cássio Laranja, Jornal da Orla)

Há uma série de razões para justificar a alcunha que o cantor e guitarrista paulistano recebeu de “Referência de Swing Jazz no Brasil”(Jornal A Tarde, Salvador), porém, não é só por apresentar “notas precisas e sonoridade elegante”(Diário do Grande ABC) ou “uma voz aveludada”(ABC, Asuncion) em seu trabalho que o músico é capaz de proporcionar um “delicioso mergulho” (O Globo) no estilo. Baldacci escolheu entreter o público, emocionar e trazer para a sua música a delicadeza e alegria de um tempo que parece não mais existir.
O Swing, que esteve no auge nos anos 1930 e 1940, na Era do Rádio e da Segunda Grande Guerra, foi concebida como música para entretenimento, geralmente com grandes orquestras. Baldacci bebe na fonte desta motivação para adaptar para o formato do trio sem bateria, o “drumless trio”, o poder de “swingar” das Big Bands. Acompanhado apenas de contrabaixo e piano, o trio do cantor e guitarrista, mostra-se como uma pequena máquina bem acertada, que cativa o ouvinte em momentos de ternura, bom humor e divertimento. O Cancioneiro Popular Norte-Americano é representado em arranjos espertos, respeitando o papel principal da melodia, mas ainda com muita liberdade de improvisação em intrincados diálogos entre os instrumentistas. Ricardo Baldacci também apresenta suas próprias composições que ficaram conhecidas de seu publico no Brasil e no exterior, em especial na Lituânia, um dos países em que a cultura do Swing Jazz é mais difundida entre os jovens.
A base de formação do repertório é bastante incomum pois tem como inspiração a primeira e desconhecida fase do trio do cantor e pianista Nat King Cole. Antes da fama como cantor e suas baladas românticas, Cole era musico de jazz e ditou normas com seu jeito de interpretar temas que retratavam o cotidiano em crônicas de letras leves e ousados números instrumentais.

Neste último ano de 2017, Baldacci tem realizado um novo formato de show além de seu trio, em que se apresenta sozinho, recriando apenas com sua voz e a companheira guitarra acústica de 7 cordas, um instrumento pouco usual no jazz, o clima das gravações da fase áurea de Frank Sinatra nos anos 1950 e 1960 e adaptações das orquestras de Duke Ellington.
NoBrasil,oRicardoBaldacciTriocontacomacolaboraçãodeVanessaFerreira, contrabaixista,escolhidapelacuradoriado ESTADÃO para compor uma seleção dos mais relevantes nomes do seu instrumento da nova geração, e do hábil jovem pianista Michel Santos. A sintonia entre os participantes é facilmente evidenciada no balanço que as performances são capazes de proporcionar.
No exterior, Ricardo Baldacci tem sido acompanhado por Martin Pizzarelli, contrabaixista que esteve ao lado por quase três décadas do cantor e guitarrista John Pizzarelli, um dos mais reconhecidos nomes do jazz dos últimos anos; além do virtuoso pianista, Larry Fuller (ex-Ray Brown Trio). O trio esteve em estúdio em Nova Jersey ao final de fevereiro e ainda este ano deve lançar novo material.

Baldacci contabiliza apresentações memoráveis. No Made In New York Jazz Festival (EUA), realizada no Tribecca Arts Center lotado, tocou lado a lado das lendas Lenny White e Randy Brecker. Também teve sua performance aplaudida de pé no Teatro Municipal do XV Festival Internacional de Jazz em Assunção/Paraguai (dos mesmos organizadores do antigo Free Jazz de São Paulo). Foi com seu trio a Suécia, para aprimorar a sua habilidade de entreter uma platéia dançante, e, ao participar do 30o. Aniversário do Festival de Herrang Dance Camp, (o maior e mais tradicional Festival do estilo de dança Lindy Hop), ganhou o prêmio de Swing Battle. No Brasil, foi escolhido pela Radio Eldorado para prestar tributos a Nat King Cole e Frank Sinatra, fez uma série de shows nas redes SESC, SESI, participou de vários festivais, incluindo a Virada Cultural de São Paulo e foi atração fixa dos bares dos respeitosos Maksoud Plaza, Terraço Itália e L’Hotel Porto Bay.
O mais recente trabalho de Ricardo Baldacci é a sua produção, Brothers in Swing (2015), um tributo à família Pizzarelli cujo a historia se confunde com o próprio jazz. Neste álbum, o artista, toca e canta na companhia de um time dos sonhos, a lenda do jazz americano de 91 anos, Bucky Pizzarelli (guitarra); seu filho, Martin Pizzarelli (contra-baixo); e do australiano Konrad Paszkudzki (piano), nomes icônicos. Gravado em duas sessões no Queens, NY, pelo experiente Bill Moss, um dos mais requisitados engenheiros de som do Jazz, o CD acontece em clima de espontaneidade e camaradagem e tem o ritmo como marca registrada. Em Maio de 2014, Ricardo Baldacci, recebeu um convite do baterista Lenny White (Chick Corea, Return to Forever), e foi uma das atrações do Made In New York Jazz Festival (EUA). Foi apresentado pela imprensa local americana (Brazilian American Chamber of Commerce Journal) como “um fabuloso talento do mundo do jazz” e “um dos mais brilhantes astros na cena”. Ainda neste ano, no segundo semestre, sua apresentação no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, rendeu ao espaço um dos recordes de público.
No segundo semestre de 2013, Ricardo produziu e lançou o álbum ‘Tain’t what you do, it’s the way that you do it’, seu primeiro disco com distribuição nacional e internacional (Tratore) que teve a participação do trio vocal sueco, The Hebbe Sister. Neste CD, o cantor/guitarrista resumiu suas então recentes apresentações, com clássicos e composições autorais. O álbum conta com o premiado pianista virtuoso, Hercules Gomes, e com Ricardo Ramos no contrabaixo acústico. Este material foi atração na Rádio Eldorado (JazzMasters e A Cara do Jazz) e USP FM (Jazz Caravan). Além disso, o CD recebeu menção e críticas positivas em uma série de veículos, entre eles os jornais O Globo (Rio de Janeiro/RJ), A Tarde (Salvador/BA) e Hoje em Dia (Belo Horizonte/MG). Num 2012 movimentado, o Ricardo Baldacci Trio se apresentou em diversos espetáculos no interior de São Paulo e Minas Gerais, foi atração no Festival de Jazz do Paraguai com seu tributo ao Nat King Cole Trio e na Suécia, se apresentou sob direção artística da respeitada Carling Family em Herrang. O cantor/guitarrista também se consolidou como um dos artistas expoentes da comunidade internacional de Lindy Hop, ao participar do LHAIF 2013 (Festival Internacional de Lindy Hop da Argentina), e BSOE (Brazil Swing Out Extravaganza).
Ricardo já tocou ao lado da lenda Bucky Pizzarelli (guitarra/EUA), Howard Alden (guitarra/EUA), Swami Jr. (violão/BRA) Randy Brecker (trompete/EUA), Lenny White (bateria/EUA), Martin Pizzarelli (baixo/EUA), Larry Fuller (piano/USA), Konrad Paszkudzki (piano/AUS), Tony Tedesco (bateria/USA), Ken Peplowisky (clarinete/USA), Omar Izar (gaita/Brasil), Max Carling (clarinete/SUE), Chester Whitmore (sapateado/EUA), Lee Fish (bateria/EUA), Judi D. (voz/EUA), Pablo Elorza (contrabaixo/ARG), Evgeny Lebedev (piano/RUS), The Hebbe Sisters (voz/SUE), Juan Klappenbach (sax/ARG), Lina Stalyte (voz/LIT), Roque Monsalve (guitarra/ARG), Michel Leme (guitarra/BRA), Alex Molleff (sax/RUS), Joseval Paes (guitarra/BRA).
Alguns músicos que já colaboraram com Ricardo Baldacci como os contrabaixistas: Thiago Alves, Vanessa Ferreira e Ricardo Ramos; e os pianistas Hercules Gomes, Michel Santos, Daniel Grajew, Leandro Cabral, Ricardo Castellanos, Sidney Ferraz, Giba Estebez e Billy Magno.

QUARTETO DO RIO

Tico de Moraes iniciou os seus estudos musicais, em 1992, com o violonista Everaldo Pinheiro, renomado músico, que acompanhou o pianista e compositor Johnny Alf e lecionou para uma geração de músicos brasilienses como Hamilton de Holanda, entre outros grandes talentos.
Já no início da sua trajetória artística, 1993, Tico foi convidado para participar como violonista em uma apresentação da conhecida cantora moçambicana Chude Mondlane, em Maputo, Moçambique.
Filha do lendário Eduardo Mondlane, para além de ser filha de um dos fundadores e primeiro presidente da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), a organização que lutou pela independência de Moçambique do domínio colonial português Chude é um ícone da música africana.
Em 2002, participou como músico e compositor do CD “Olhos d'Água” (contemplado pelo FAC) da cantora brasiliense Muriel Tabb.
No ano de 2005, produziu sua primeira apresentação como artista principal. O concerto inaugural, intitulado "Mangaio", nome de uma de suas composições, foi realizado na sala Cássia Eller da Funarte. No ano seguinte, participou do "Programa Talentos”, da TV Câmara, ao lado dos músicos Paulo André Tavares, Oswaldo Amorim e Eudes Carvalho. A apresentação favoreceu a circulação do seu trabalho em âmbito nacional.
Em 2007, foi convidado para fazer duas apresentações no "Festival Internacional de Jazz de Guaramiranga”, no Ceará. Nesse contexto, o jornalista e crítico de jazz Geraldo Galvão Ferraz escreveu: “quando canta, parece um clone do melhor Chet Baker vocalista”.
No ano de 2011, participou da gravação do CD (contemplado pelo FAC) de Ivo Pinho Ângelo, músico e compositor brasiliense. Fazem parte do conjuto musical artistas locais como Cely Curado, Leonel Laterza, Salomão di Pádua, Célia Rabelo, José Cabreira, Paulo André Tavares, Oswaldo Amorim, Moisés Alves etc.
Em 2013, foi convidado para participar da gravação do disco “The Cosmic Remedy”, projeto multicultural idealizado por Akos Bogáti-Bokor, compositor e multi- instrumentista romeno. Akos selecionou músicos de diversos países como Finlândia, Itália e Brasil, e gerenciou as gravações que foram executadas em suas localidades e compartilhadas pela internet, sem o encontro pessoal dos músicos.
Nesse mesmo ano, participou da gravação do programa “Casa do Som”, de direção do bandolinista Dudu Maia, em parceria com a UnB TV. Bem como do projeto “The Chico Buarque Experience” (contemplado pelo 26o Prêmio da Música Brasileira), de autoria do músico letristra Orlando Castro, que elaborou versões na língua inglesa da vasta obra de Chico Buarque. Fizeram parte desse projeto nomes como Cris Delanno, Zé Renato, Cely Curado, Jorge Vercillo, entre outros.
Em 2014, participou da apresentação e gravação do projeto Sofar Sounds, um movimento global que promove shows intimistas de artistas independentes em “apresentações secretas”, realizadas em espaços itinerantes. No mesmo ano, participou do show em homenagem à obra de Stevie Wonder com as “Brasilianas”, projeto de autoria das musicistas Diana Mota e Luciana de Oliveira, que aconteceu no Clube do Choro e no Sesc Garagem. Em 2015 Tico lançou, de maneira independente, o seu primeiro EP “Just Thoughts”, disponível em plataformas online, como Itunes, Deezer, Spotify etc.
Em 2016, participou de apresentação da Orquestra JK, regida pelo saxofonista Ademir Júnior.
E vem se apresentando em Brasília, sempre acompanhado de músicos de grande prestígio na cidade, como Moisés Alves, Oswaldo Amorim, Serge Frasunkiewicz, Genil Castro, entre outros.
Tico também vem fazendo apresentações e eventos fora da cidade, tendo se apresentado em Fortaleza, Porto Alegre,Vitória, Pirenópolis etc.

RIO SANTOS STREET BAND

Uma típica banda de Dixieland formada por instrumentos de sopro e percussão, se apresenta sempre em movimento, esbanjando simpatia e irreverência, interagindo de uma forma muito especial com o público, levando muita alegria e emoção por onde passa.

A sonoridade lembra muito o som que era tocado nas ruas, bares e barcos a vapor da cidade de New Orleans, considerada como o berço do Jazz.

Dirigida e idealizada pelo saxofonista e arranjador Maurício Fernandes, é a banda oficial do RIO SANTOS BOSSA FEST e do RIO SANTOS JAZZ FEST e uma das atrações mais queridas do público.

NEWTON ZAGO

Uma apresentação de Newton Zago é sempre uma ocasião especial – e apesar de requisitado em todo o Brasil como pianista & cantor, atraiu atenção não apenas por sua técnica e profunda musicalidade, mas por ser um dos intérpretes de sua geração com maior domínio em todos os estilos como clássico, rock , jazz, mpb ,samba, bossanova etc...
Newton Zago é um daqueles músicos que é em grande parte, ou melhor, totalmente imprevisível - que torna concertos como o seu recital “ ininterrupto “, tão excitantes e tão diversificados.
Filho do Maestro Nilson Zago, conhecido internacionalmente por ter participado em um dos concursos de Órgão Eletrônico YAMAHA mais cobiçados do mundo, no qual foi premiado. Sua mãe musicista formada no Instituto Musical Santa Cecília de Santos.
Se Newton pode ser classificado, é como um músico de multitalentos. Com sua versatilidade , ele não procura novidade pela novidade. Ele se utiliza dos modelos existentes, que ele reconhecer como válidos sem consideração de determinada época, e os mistura com expressão pessoal.
Newton Zago não apenas vive se surpreendendo como também adora surpreender os outros.
Ele enxerga além das divisões entre as peças individuais, pelo que a audiência deve estar sempre alerta para ser capaz de aplaudir o executante.
Com técnica suberba, musicalidade efervescente e curiosidade ilimitada, sem um resquício de autonegação e em desafio a todas as regras tradicionais, Newton Zago move-se em todos os terrenos, pois somente desta forma podem ser encontrados os caminhos mais curtos.

BIA ROCHA E SILVA TRIO

Beatriz M.da Rocha e Silva estudou 10 anos no CLAM (Centro livre de aprendizagem musical) onde fez todos os cursos de formação de professores.Também estudou com pianistas como Silvia Goes, Wilson Curia entre outros.Trabalha como instrumentista e como professora de música à 20 anos. Tocou em várias casas noturnas em Santos, São Paulo, litoral e interior, atuando como solista, acompanhando cantores e grupos instrumentais. Trabalhou em Campos do Jordão, no festival de inverno e no litoral paulista no festival de Jazz com José Simonian e a companhia instrumental.
Gravou vários cds com vários cantores e instrumentistas, como por exemplo o cd Ouvi do brasileiro, totalmente instrumental.
Participações especiais: Billy Motta na guitarra e Junior Motta no contrabaixo.

RICARDO PAULINO DUO

- PIANISTA INTERNACIONAL COM 15 ANOS DE EUROPA ATUANDO NA. BÉLGICA. ALEMANHA, POLÕNIA, HOLANDA, ENTRE OUTROS PAÍSES.
- TOCOU NOS HOTÉIS MERIDIEN DO RIO DE JANEIRO E RIVER. GAUCHE.
- TRABALHOU. NO HOTEL RITZ. E MERIDIEN DE LISBOA POR 4 ANOS.
-  PARTICIPOU DO FESTIVAL DE JAZZ DE CASCAIS AO LADO DE GRANDES NOMES DO JAZZ MUNDIAL.
- FOI PROFESSOR DO CONSERVATÓRIO SOUZA LIMA EM SÃO. PAULO NA CADEIRA DE ARRANJOS E HARMONIA JAZZISTICA
-  PIANISTA SELECIONADO PELA ROYAL CARIBEAN PARA CRUZEIROS INTERNACIONAIS, ONDE ATUOU POR 10 ANOS.
-  APRESENTA-SE NO FAMOSO PUB ALL OF JAZZ EM SÃO PAULO.
Participação especial: Roberto Bendas no saxofone

COR DAS CORDAS & EDMUNDO CARNEIRO

Saiba sobre COR DAS CORDAS

"Edmundo Carneiro é percussionista com sólida carreira internacional. Além do seu trabalho com o grupo 'La Soul' e também ao lado do conhecido músico francês St. Germain (cujo álbum Tourist, de NuJazz, lançado em 2000, vendeu mais de 4 milhões de cópias), Carneiro visitou mais de 66 países e trabalhou com figuras da música internacional como Baden Powell, Tânia Maria, Seu Jorge, Chucho Valdés, Ray Lema, entre outros.
Ele fez incursões bem sucedidas pela música eletrônica e colaborou com alguns dos DJs mais famosos do mundo, sempre com refinamento e elegância, tanto na escolha de timbres, quanto sua maneira de dar alma à música. Seu som traz uma elegante mistura de ritmos brasileiros e jazz, alinhavados pelo seu groove “alta-costura”. Esse trabalho foi registrado em seu últimos disco “The Hands”, cujo show revela a irreverência e maestria de suas composições."

CARLA MARIANI QUARTETO

Cantora de blues, Carla Mariani apresenta o “ShowTime”, cantando suas músicas autorais e fazendo um passeio por diversas fases do blues e jazz, além de criar releituras de músicas de outros estilos, adaptando a estes estilos. Ela já se apresentou em importantes eventos como Festival Santos Café, Santos Jazz Festival e Festivais de Inverno. A artista lançou seu primeiro álbum, “Time”, em agosto de 2017. O lançamento desse material foi realizado no Sesc Santos, com casa lotada.

BRUNO DE LA ROSA

Pinacoteca Benedicto Calixto - 26/01 - 19h00

No show 'Vinicius de Moraes e a bossa nova', Bruno De La Rosa ilustra com as canções o encontro do poeta com Tom Jobim, Carlos Lyra, Baden Powell, entre outros parceiros. Além de histórias divertidas sobre as parcerias, De La Rosa caminha de modo lírico e interativo através da visita à revolução estética trazida por Vinicius na letra da canção brasileira'.

Bruno De La Rosa é músico brasileiro. Natural de Santos, hoje com 30 anos, De La Rosa entrou na música aos 8, através do som de Vinicius de Moraes e Toquinho, o que o levou imediatamente ao interesse pelo violão e mais tarde lhe renderia alguns de seus mais importantes trabalhos publicados: como compositor, o disco "Vasta cidade, festa de alguém" (Kuarup/Sony Music, 2012), com participação de Renato Teixeira e Toquinho, o "Songbook Toquinho", onde foi responsável pela seleção e transcrição harmônica e melódica de 62 canções (Lumiar/Irmãos Vitale, 2011), "Histórias de canções Vinicius de Moraes" (LeYa, 2013), escrito em parceria com Wagner Homem, e "Meu Segredo", onde fez a concepção artística e produção (em parceria com Marcos Alma e Wagner Amorosino) do primeiro álbum do baterista e compositor Mutinho (Lupicinio Rodrigues Sobrinho), aos 76 anos (Kuarup, 2017). O álbum conta com arte de Elifas Andreato e participações de Miúcha, Toquinho, Georgiana de Moraes (filha de Vinicius), Nenê (baterista), Silvia Góes, Roberto Sión entre outros, além do próprio Bruno ao violão.

DIDI GOMES TRIO

Pinacoteca Benedicto Calixto - 02/02 - 18h00

Didi Gomes, nascida Maria Edith de Paiva Gomes em 12/03/76, natural de Santos-SP, filha de Maria Madalena e Ayrton Gomes, músico, cantor e compositor conhecido da noite paulistana e santista, presidente e fundador do tradicional “Grêmio Cultural e Recreativo Chorões Santistas”.

Didi Gomes começou a cantar aos 8 anos de idade ao participar de programas regionais de calouros como: “Ilha Porchat na TV” e no “Programa do Raul Gil” em 1985, onde conquistou um primeiro lugar no concurso.

Logo se profissionalizou e passou a se apresentar em casas noturnas e eventos da região como cantora e percussionista ao lado de seu pai.

Em 2010 participou de um projeto com o ator e produtor teatral Alexandre Camilo - “O contador de histórias” cantando músicas infantis para as escolas da região levando cultura as crianças mais carentes.

No ano seguinte com o mesmo Alexandre Camilo, participou do projeto “Ação do Coração”, que faz parte do calendário oficial da cidade de Santos onde comemora-se o “Dia do Amor” todo dia 02 de agosto.

Em 2012 foi convidada pelos amigos Arizinho 7 Cordas e Paulinho Ribeiro a participar do primeiro festival “Exposamba 2012” na cidade de São Paulo-SP, onde conquistou o segundo lugar como intérprete com a música “Motim” (composição de Ari e Paulinho) que obteve o 3º lugar na classificação geral entre mais de 1.000 canções inscritas.

No ano de 2012/13/14 e 15 foi convidada por Ricardo Peres, com indicação do amigo e talentoso músico João Carlos Junior (Jota R) a participar do clipe em homenagem à cidade de Santos veiculado na TV Tribuna, afiliada da rede Globo, com grande repercussão na cidade e região.

Ainda participa de diversos projetos especiais como os já citados e ainda: Roda de Samba com o cantor Luiz Américo e Grupo Feitiço, gravação do CD das Escolas de Samba de Santos, Roda de Samba do Ouro Verde e com os Chorões Santistas em apresentações culturais como o projeto “Chorinho no Aquário” cantando marchas e sambas de carnavais antigos e composições próprias.

Participou da Ala Musical da GRCES Vai-Vai como interprete no ano de 2015 onde a escola sagrou-se campeã. Atualmente se apresenta com bastante frequência no Circuito SESC, incentivada pelo produtor cultural Michel Pereira que projeta a gravação do seu primeiro CD em breve.

Dona de uma voz única e de um jeito peculiar de cantar que impressiona pela afinação e personalidade o seu repertório é extenso e de qualidade que vai do Samba-Jazz ao Choro, da MPB antiga a atual, da Seresta ao Samba, passando por Tom Jobim, Milton Nascimento, Chico Buarque, Cartola, Ari Barroso e Pixinguinha entre outros mestres consagrados.

Campeã 2016 Exposamba Brasil Campeã 2017 pela escola de samba do Rio de Janeiro Mocidade independente de padre Miguel Quarto ano consecutivo na escola de samba Vai-Vai em SP Para 2018 na escola de samba x9 de Santos.

CONJUNTO DE VIOLÕES DO PROJETO ESCULPIR & CORDAS BANCÁRIAS

Praiamar Shopping - 20/01 - 11h00

CONJUNTO DE VIOLÕES DO PROJETO ESCULPIR é composto por crianças de 05 a 16 anos, residentes no entorno do Mercado Municipal de Santos e que vivem em áreas de risco social.

Neste projeto social realizado em parceria com a ASSOCIAÇÃO ESCULPIR, o objetivo é transformá-los em cidadãos conscientes em tudo. Com a possibilidade da profissionalização na música, sem deixar a escola.

As crianças a cada apresentação mostram a sociedade que a música tem o raro poder de transformar a vida das pessoas.

As crianças serão acompanhadas pelo CORDAS BANCÁRIAS, Orquestra de Violões do Sindicato dos Bancários de Santos e Região, que conta com a regência do Maestro Antonio Manzione, que esteve à frente por 28 anos da Camerata “Heitor Villa-Lobos”, com mais de 1.000 apresentações e mais de 780 premiações.

Manzione foi o fundador do Curso Oficial de Violão de Santos, em 1972, já formou mais de 20 mil alunos com seus cursos gratuitos e mais de 200 professores de violão que atuam profissionalmente no Brasil e no exterior.

ORQUESTRA & CORAL DO PROJETO TOCANDO EM FRENTE

Praiamar Shopping - 20/01 - 11h30

O Tocando em Frente atende crianças da educação infantil e ensino fundamental, bem como jovens e adultos, da cidade de Cubatão desde 2011, proporcionando a estes a oportunidade de vivenciar as artes gratuitamente (música, dança, artes cênicas e plásticas). Estimulamos a motivação intelectual e a apreciação da multiculturalidade, culminando, assim, em um diálogo inter/transdisciplinar.

Por meio da vivência das diversas facetas artísticas e da interação com os professores, os alunos elevam sua autoestima, adquirindo cultura para compreensão e gestão das diversidades no mundo contemporâneo. Assim, despertamos nas pessoas a consciência de que elas podem ser o fator preponderante para a conquista de seus maiores objetivos.

O projeto foi aprovado pelo Ministério da Cultura no ano de 2014 e vem desenvolvendo um importante trabalho de educação musical e formação de público.

Idealizador: Anderson Fabiano Souza de Oliveira

ORQUESTRA FILARMÔNICA JOVEM DA BAIXADA SANTISTA

Praiamar Shopping - 21/01 - 11h00

A Orquestra
A Orquestra Filarmônica Jovem da Baixada Santista é um projeto recente, iniciado no meio do ano de 2017, mas já conta com a presença de mais de 30 músicos incluindo solistas convidados da Baixada e de São Paulo. A orquestra, que tem como maestro e idealizador Ásafe Soler, visa principalmente à integração, através da experiência orquestral com repertório e formação sinfônica, de jovens músicos interessados em seguir essa carreira. Além disso, o projeto também pretende, por meio de apresentações e concertos didáticos, promover o interesse e o acesso à arte e à cultura pelos quatro cantos da nossa querida baixada santista.

O Maestro
Nascido em Santos, o Maestro Ásafe Soler começou os estudos musicais desde pequeno e com 11 anos ingressou no Conservatório Municipal de Cubatão no curso de Piano Erudito. Mais adiante, teve contato com a música coral através do Maestro Samuel Lourenço, e seu interesse pelo canto e regência motivou-o a ter aulas sobre o assunto. Também teve aulas de piano, harmonia e composição com o profº livre docente Sérgio de O. Vasconcellos-Corrêa. Começou a reger seu primeiro coro com 18 anos e logo após, em 2016, ingressou na USP como bacharelando em Regência onde começou suas aulas com o profº Titular Maestro Marco Antônio da Silva Ramos. Atualmente, Ásafe trabalha como coralista do Coro de Câmara da USP e como Regente Titular do coral Ebenézer da 1ªIPB de Santos e da Orquestra Filarmônica Jovem da Baixada Santista

Rio Santos Jazz Fest 2018  

O objetivo principal do RIO SANTOS JAZZ FEST 2018 é trazer entretenimento para o público da Baixada Santista através de um estilo que é um dos principais alicerces da música popular mundial, que é o JAZZ.

De forma acessível e com entrada gratuita, o público será incentivado a se integrar à música e ao ritmo, promovendo uma agradável confraternização entre os participantes.

O Festival será dividido em 10 dias, com várias atrações de renome das cidades do Rio de Janeiro, São Paulo e de Santos, que mostrarão com muita propriedade um repertório variado.

Acontecerá no mês de Abril de 2018, entre os dias 20 e 30 de abril, no TEATRO DO SESC, com capacidade para 785 pessoas, no TEATRO COLISEU, no Centro Histórico de Santos, com capacidade para 600 pessoas. Como complemento, teremos apresentações na Praça Central do PRAIAMAR SHOPPING, com uma expectativa de público de mais de 1.000 pessoas por apresentação, além do Salão Nobre da PINACOTECA BENEDICTO CALIXTO, com capacidade para 150 pessoas, MUSEU DO CAFÉ, com capacidade para 100 pessoas, o AUDITÓRIO DA ALIANÇA FRANCESA DE SANTOS, com capacidade para 50 pessoas e o COLÉGIO UNIVERSITAS - ENSINO FUNDAMENTAL e ENSINO MÉDIO.

Além de levar ao publico da Baixada Santista o melhor da produção brasileira do JAZZ, o festival também irá fazer parte das comemorações do Dia Internacional e Municipal do JAZZ, comemorados sempre em 30 de abril. 

A data comemorativa, que celebra o Dia Internacional do Jazz, em diversas partes do planeta, foi criada em novembro de 2011, pela Agência das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura – UNESCO, apadrinhada pelo pianista e Embaixador da Boa Vontade da entidade, Herbie Hancock.

Em Santos, foi instituída através de Lei Municipal no. 2.973, de 14 de março de 2014, que inclui no Calendário Oficial do Município, a Semana do Jazz, comemorada sempre de 24 a 30 de abril.

A Direção do Festival é assinada por Cássio Laranja, um dos mais atuantes produtores culturais da Baixada Santista, que solicitou diretamente ao nobre Vereador Douglas Gonçalves, a propositura da referida Lei Municipal que homenageia o Jazz.

O RIO SANTOS JAZZ FEST esá inscrito na UNESCO pelo 5º. ano consecutivo, como evento oficial do INTERNATIONAL JAZZ DAY 2018, comemorado em 30 de abril e celebrado em diversas cidades do planeta, colocando o nome da cidade de Santos no cenário mundial. 

Em 2018, os concertos globais serão realizados nas cidades de São Petersburgo na Rússia e Sidney na Austrália.

O RIO SANTOS JAZZ FEST 2018 é voltado exclusivamente ao interesse público, a formação e informação do público e ao desenvolvimento de suas bases culturais e sensibilidade artística, oferecido a população gratuitamente.

Bruno Conde

Pinacoteca Benedicto Calixto - 03/02 - 18h00

Natural de Santos SP, Bruno Conde é violonista, compositor, arranjador e professor de música.

Conde tem três discos lançados:
• “PRISMA” (2011), que tem participação das vozes de CELSO LAGO, LARISSA FINOCCHIARO, KLEBER SERRADO e RENATO BRAZ.
• “EKOA” (2015), em parceria com os amigos KLEBER SERRADO (voz) e THEO CANCELLO (piano), com participações de MARCOS SUZANO, RENATO BRAZ, TENNYSON e ZAMBI.
• “CONFINS” (2017), conta com participações de grandes artistas. Vozes de ANDRÉ FERNANDES, BRUNA MORAES, GUILHERME NEVES, KLEBER SERRADO, LADSTON DO NASCIMENTO, MATEUS SARTORI, PABLO FAUAZ, RENATO MOTHA, TENNYSON, trio SINHÁ FLOR e VITOR RAMIL, além dos instrumentistas ANDRÉ MEHMARI, FELIPE ROMANO, MARIO GIL, NAILOR PROVETA, THEO CANCELLO, TENNYSON, trio SINHÁ FLOR, ULISSES NICOLAI e ROSSANA NICOLAI. Arranjo para cordas de LAUTARO MICHAUX.

Em maio de 2014, o trio EKOA fez duas apresentações com a ORQUESTRA JOVEM TOM JOBIM e seu maestro titular ROBERTO SION, que orquestrou duas canções de autoria do trio. Os registros de áudio visual desta apresentação estão disponíveis acessando o web programa PROJETO GALPÃO. (youtube.com/projetogalpao)

Em maio de 2015 gravou a web série "VIOLANDO", com arranjos inéditos para músicas consagradas. Em clima intimista, os vídeos foram gravados em um único “take”, sem cortes, priorizando a veracidade das interpretações. O projeto continua com o nome "VIOLANDO em casa", agora produzido na casa do artista e com frequência semanal no youtube. (youtube.com/bconde85)

Em parceria com os amigos e músicos Kleber Serrado e Theo Cancello, produziu o web programa PROJETO GALPÃO, divulgando a música autoral, com quase 30 vídeos disponibilizados na internet, o trio contou com as participações de ZÉ LUIZ MAZZIOTTI, FILÓ MACHADO, ARISMAR DO ESPÍRITO SANTO, maestro ROBERTO SION, PEDRO ALTÉRIO, GILSON PERANZZETTA, LULA BARBOSA, entre outros. (youtube.com/projetogalpao)

Em 2017, BRUNO CONDE participou do CD “DOIS EM PESSOA – VOLUME II” dos mineiros RENATO MOTHA e PATRÍCIA LOBATO. Arranjou e gravou os violões de três faixas no CD do compositor GUILHERME NEVES, uma delas com o sanfoneiro TONINHO FERRAGUTTI.

Larissa Finocchiaro (larissafinocchiaro.com)

Iniciou sua prática musical no Projeto Guri aos 15 anos, onde conheceu seus primeiros parceiros musicais para formar o grupo vocal Karallargá – com Vanessa Moreno, Caio Merseguel e Victor Merseguel. Atuou como cantora e compositora neste grupo entre 2006 e 2013, com quem se apresentou em diversos centros culturais de São Paulo e região do ABC, festivais, na rede SESC e SESI do interior de São Paulo e Capital, tendo gravado um disco com participação de Filó Machado. Participou do projeto e gravação do cd “Prisma”, no qual interpretou composições suas em parceria com o violonista Bruno Conde e dividiu palco com os cantores Celso Lago e Renato Braz. Também trabalhou por dois anos com o acordeonista Gabriel Levy, sendo monitora de naipe em um coral de adultos entre 2013 e 2015.

Além do bacharelado em Psicologia, atualmente estuda Canto Popular com Andrea dos Guimarães no Conservatório de Tatuí e é licencianda em educação musical pela UFSCar. Como professora de canto é certificada pelo Institute for Vocal Advancement.

Faz parte de alguns projetos musicais como: a “Saraivada”, com o compositor e violonista Chico Saraiva; Orquestra do Corpo dirigida pelo Fernando Barba e Stênio Mendes.

Em 2018 se prepara para gravar seu primeiro disco autoral com produção musical e arranjos do baixista Fi Maróstica.

PROJETO TAM TAM

A Associação Projeto TAMTAM é uma ONG que promove ações de saúde e cultura em prol da construção de uma  sociedade para todos!


Iniciado na extinta Casa de Saúde Anchieta, em Santos (SP), no ano de 1989, o projeto TAMTAM tem como objetivo promover saúde mental, prevenção às doenças, educação, acesso à arte e cultura, diversidade e inclusão social. O trabalho teve origem após uma intervenção pública municipal no local.

Foi a partir daí que o arte-educador e pedagogo Renato Di Renzo revolucionou o chamado tratamento em linguagem de arte/vida, propondo uma integração inclusiva e diversa, através de espaços para Arte e Convivência. Em 1992 é fundada a ONG Associação Projeto TAMTAM, objetivando que a ética e a estética fossem mantidos e replicados. No ano seguinte, a TAMTAM uniu seu trabalho de Arte com o Grupo Orgone, fundado pela bailarina Claudia Alonso, que, até então trabalhava somente com dança. Di Renzo assume a direção do grupo, dando nova roupagem e uma linguagem única que o caracteriza até os dias atuais. Os participantes passam a fazer parte de uma formação muito mais ampliada, que incluía as atividades do próprio TAMTAM.

A TAMTAM, passou a ocupar o terceiro andar do foyer do Teatro Municipal de Santos para Eventos e Apresentações em 1996 e, a partir de 2003, propôs uma transformação do espaço criando o multicultural e educativo “Rolidei Café Teatro”. O local passou a sediar todas as atividades da ONG TAMTAM.
As ações são executadas por um grupo de voluntários que compartilha do mesmo sentimento: o trabalho é por vocação e se multiplicam na realização de atividades diárias de Arte e Inclusão - oficinas de Teatro e Expressão, Corpo – Dança e Expressão - Musicalização e Expressão – Literatura- Artesanato - Costura – Palestras – Orientações - Atendimento Social e Psicológico.

Atualmente são atendidos DIARIAMENTE mais de 180 beneficiários dos 7 aos 75 anos, com e sem múltiplas deficiências, distúrbios e/ou síndromes.

- Mais informações
- Facebook

CONJUNTO DE VIOLÕES DO PROJETO ESCULPIR

CONJUNTO DE VIOLÕES DO PROJETO ESCULPIR é composto por crianças de 05 a 16 anos, residentes no entorno do Mercado Municipal de Santos e que vivem em áreas de risco social. Neste projeto social realizado em parceria com a Associação Esculpir, o objetivo principal é transformar as crianças assistidas em cidadãos conscientes em tudo.
A ideia é a profissionalização através da música, sem deixar a escola.
Com esta oportunidade, a Associação Esculpir mostra para a sociedade que a música, tem o raro poder de transformar a vida das pessoas.